Neuromarketing

Tempo de leitura: 23 minutos

alt="Neuromarketing em Odontologia"

Neuromarketing em Odontologia

O que é Neuromarketing?

 

                Neuromarketing é um campo novo do marketing que estuda a essência do comportamento do consumidor. É a união do marketing com a ciência, é considerado uma chave para o entendimento da lógica de consumo, que visa entender os desejos, impulsos e motivações das pessoas através do estudo das reações neurológicas a determinados estímulos externos.

As descobertas do Neuromarketing podem ser aplicadas em qualquer peça publicitária, seja em formatos digitais ou offline, com o intuito de atrair a atenção da mente do consumidor.

Um dos principais fatos descoberto pelos neurologistas explica que a maior parte de todas as decisões de compra são tomadas em nível subconsciente e que, sendo assim, é importante impactar o inconsciente do consumidor com memórias, emoções e experiências positivas. Dessa forma, o consumidor se lembrará de uma marca ou de um produto de forma mais facilitada na hora de escolher qual produto adicionar ao carrinho.

Faça agora uma reflexão – quais são as suas marcas preferidas em diversos aspectos como roupa, alimentação, produtos de limpeza, beleza, entretenimento?

Agora tente explicar por qual motivo você “ama” alguma dessas marcas. Se não conseguir uma explicação coerente é porque ela agiu em seu inconsciente durante a decisão de compra.

95% das decisões de compra são inconscientes!

As marcas tem a ver com o seu “estilo de vida”., por isso despertam “paixões”

As pessoas compram pelos seguintes motivos:

  • Inclusão
  • Conquista
  • Emoção
  • Desejo
  • Status
  • Prazer
  • Inveja
  • Experiência positiva prévia

Como influenciar pessoas e criar valores inconscientes

O que nosso cérebro busca?

  • Sobrevivência e reprodução (força motiz do cérebro) – Ver vídeos de Pedro Camargo
  • Recompensas Imediatas
  • Padrões predeterminados

Nosso cérebro sempre busca atalhos, por isso a interação em vídeos é maior do que em textos nas redes sociais.

Nós estamos vivendo na “Era da Atenção”, pois com a tecnologia estamos superexpostos  às informações. Isso fez com que o comportamento das pessoas se tornasse disperso e muito mais seletivo.

Quais as realidades do Neuromarketing que podem ser analisadas?

  • Econômica
  • Social
  • Psicológica
  • Antropológica
  • Cultural

Você sabe o perfil do seu consumidor?

Sugestão de livro :”A Lógica do Consumo” do autor Martin Lindstrom

Há muitas pesquisas feitas para ler e entender o inconsciente do consumidor. Tecnicamente elas são realizadas através de eletroencefalograma e de ressonância magnética. Os cientistas analisam a quantidade de sinapses na região do cérebro responsável pela memória de longa duração.  Assim, os consumidores são expostos às propagandas e esse estudo é realizado. Se elas só influenciarem a memória de curta duração, o efeito publicitário desejado não foi alcançado. Também usam uma técnica chamada de “Eye tracking”. São óculos ou câmeras utilizadas para medir onde está o foco ( o olhar) do consumidor durante uma apresentação ou até dentro de uma loja física. Assim, podem analisar quais os locais que ele mais olhados e por mais tempo através de calorimetria. Grandes lojas fazem essa análise para montar suas vitrines e programar o local ideal de seus produtos.

Outra coisa interessante, muitas lojas usam a técnica da escassez em seus produtos. Se você gostar de uma calça e resolver comprar na outra semana provavelmente não mais achará…Isso porque eles recolhem todos os produtos e até trazem outros com estampas e tecidos diferentes (ZARA). Lojas de grife costumam expor poucas peças de cada modelo para passar a sensação de “exclusividade”. Já algumas, mesmo sendo de grife, acabam deixando seus estoques à vista do cliente. Provavelmente desconhecem essa técnica, vejam o exemplo da “Dudalina”

Dudalina

 

De acordo com Paul Ekman, há 6 expressões faciais no ser humano:

  • Raiva
  • Nojo
  • Medo
  • Tristeza
  • Surpresa
  • Alegria

Alguns vendedores estudam pra saber quais as reações do consumidor ao ver um produto, e quando determinam que há 80% no interesse de compra ele o aborda.

Existe uma empresa chamada FORE BRAIN que é responsável pela neurociência do consumo. Eles estudam as campanhas publicitárias de grandes marcas com pessoas de classe A e de classe C e assim determinam a efetividade destas.

E quais são as neurométricas analisadas?

São:

  • A atenção
  • A memória (principalmente de longo prazo)
  • E a emoção gerada

Um exemplo de um comercial perfeito nesses 3 sentidos gerados foi o do lançamento do Passsat 2012. Quando a atenção começa a cair eles mudam o cenário e no final, com  pico da emoção gerada eles apresentam o nome do carro e preço.

Veja AQUI o comercial:

A maioria das grandes marcas determina o lançamento de um novo produto durante a exibição de um último capítulo de novela. Isso não ocorre somente por causa da audiência, e sim, por causa dos sentimentos que já estão aflorados no consumidor. Nos EUA geralmente fazem isso nos comerciais da apresentação do “SUPER BOWL”, e já virou uma tradição a grande disputa entre os  anunciantes

Existe uma análise de sentimentos e emoções (valência emocional e memória) que determinam as LOVEMARKS. São as Brand Lovemarks (estudo sobre a criação e desenvolvimento de uma LOVEMARK).

Essas marcas despertam amor, respeito, confiança e autenticidade (não vendem mentiras). Eles estudam como influenciar pessoas e criar valores inconscientes.

Memória, atenção e hábito

Memória

Nossas memórias são criadas de 2 formas:

  • Emocional
  • Repetitiva – Como os “jingles” e gestos repetitivos (Itaú)

Elas podem ser:

  • De longo prazo – duram meses ou anos
  • De curto prazo – duram minutos ou horas
  • E podem ser memórias de trabalho – duram segundos. São  essas que geralmente falham.

Para uma marca atingir uma memória de longo prazo é preciso ter uma chamada que se torne um bordão. Alguns exemplos de produtos acertados são:

– US TOP- “Bonita camisa Fernandinho”

– Bayer – “Se é Bayer é bom”

-Brastemp – “ Não é uma Brastemp…”

-Gelatto (que não existe mais) – a música do sorvete “Cornetto”

– Jingle do “Big Mac”

E como podemos usar isso em Odontologia?

                Faça uma análise dos “jingles” tocados na rádio de sua cidade. Quais ficaram marcados em sua cabeça por repetição? Então, vale a pena contratar um profissional capacitado para desenvolver um jingle para seu consultório ou clínica e usá-lo nas mídias tradicionais e online!

Mas cuidado com as repetições que possam gerar polêmica social desnecessária…Por exemplo, a campanha do Banco Itaú onde repetem a palavra “Digitau” gerou muita polêmica por pais indignados por estarem incentivando uma escrita errada. Infelizmente estamos numa época onde todos dizem ser “politicamente corretos”, ou época do mi-mi-mi  (Imagine então a situação do Maurício de Souza se criasse o personagem do cebolinha agora!!kk). As polêmicas tem um lado positivo onde geram mais visualizações. Os artistas fazem muito isso para aparecer na mídia, como foi o caso da “Lady Gaga” quando apareceu com uma roupa feita de carne. Isso faz com que os padrões neurais sejam alterados (quebrados).

                O ideal é que saibamos vender EXPERIÊNCIAS do que vender nossos PRODUTOS!

Por isso nosso marketing deve atingir o emocional das pessoas e mostrar os benefícios de nossos produtos, ou seja, de nossos serviços!

Tome cuidado em campanhas que divulgam um preço menor ou até inexistente como é o caso quando não cobramos consulta!

                “O nosso cérebro sempre acredita que o mais caro é melhor”.

Somente um cliente mais racional pode não converter pelo lado emocional durante a compra, ou seja 5% da população…

A forma de apresentação do produto é fundamental! Um exemplo são as lojas de bolsa de grife nas quais os vendedores usam luvas pretas até os cotovelos para manusear e apresentar a bolsa caríssima à consumidora… você já parou pra pensar se quando elas estavam sendo confeccionadas na China também tinham esse cuidado? Kkk

Essas bolsas também vêm com um certificado de garantia e uma documentação completa. Isso faz com que gere mais “valor” ao produto. (você faz isso quando acaba um tratamento de implantes dentários???)

Um caso de sucesso citado  foi de uma médica acupunturista de crianças que fez uma caixinha personalizada com as agulhas para seus clientes. Simplesmente colocava o nome da paciente gravado. Aos poucos começou a perceber um maior volume em sua agenda de mães interessadas devido à propaganda boca a boca e  desejo dos filhos.

E por que não fazemos o mesmo durante a entrega de moldeiras de clareamento, ou caixas de aparelho de ortodontia? Todo ser humano é egocêntrico e gosta de se sentir importante e único! (Deve ser por isso que entregamos brindes, como escovas de dente, como o nosso nome…serve para sermos lembrados, mas que tal uma caixinha personalizada pra essa escova também?)

Imagine fazer um vídeo restrito no Youtube filmando uma pessoa chegando ao seu consultório. Comece filmando a fachada e na entrada a recepcionista  acolhendo o paciente com a frase “ Olá Sr(a)…., que bom que o Sr(a) veio! Estamos muito felizes com sua presença !”, Em seguida ela vai caminhando e mostrando outros funcionários até que uma pega um balão e escreve o nome do cliente! Isso pode ser usado durante algum evento que você for fazer, o único trabalho será editar a cena em que a funcionária escreve o nome do cliente no balão! Você acha que essa pessoa faltará? Eu duvido..,

Agora imagine colocar suas lentes de contato, coroas ou próteses sobre implantes em caixas de jóia! Isso mesmo, nada de abrir aquela caixa horrível do protético na frente do paciente. As peças devem ser envolvidas numa solução antisséptica e seladas. E assim passará a informação real do valor agregado e cobrado!

Atenção (ou foco)

É o processo de filtragem seletiva de importância, ou seja, relevância. O nosso foco ou atenção é móvel.

Uma forma positiva de conseguirmos atenção em nossas campanhas é usarmos imagens onde o/a modelo não esteja olhando para a frente…imagens assimétricas ou “fora dos padrões” que todos usam chamam mais a atenção do espectador, portanto, use sua criatividade! Mas evite ser polêmico(a)  de maneira negativa. Isso é causado por gerar uma “tensão visual”, quando quebramos as regras de ouro de estética, tem mais apelo emocional. A lógica simétrica é RACIONAL!

alt="Picaso"
Quadro de Pablo Picaso

Observe a diferença das campanhas do “Posto Ipiranga” e do “Posto Shell”. Enquanto o primeiro foca em levar os consumidores para a Loja de Conveniência onde podem achar quase tudo (acreditem, tem Posto Ipiranga tão grande em regiões metropolitanas que possuem até consultório odontológico!) , o segundo foca na tecnologia utilizada no combustível, que é utilizada nos carros de Fórmula 1….  seu cérebro vai passar a seguinte mensagem :”Eu não tenho um carro de Fórmula 1, então não preciso disso” . Mas, pensando por outro lado ele pode atingir um público mais seleto e exigente com a qualidade da gasolina em seu veículo, o que não é a maioria.

Hábitos

O que é um hábito?

É um costume; maneira de viver; modo constante de comportar-se e de agir de acordo com nossa cultura ou muitas vezes não sabemos porque os adquirimos.

Livro recomendado: “O Poder do Hábito” de Charles Duhigg

Como criar um hábito?

Podemos criar um novo hábito através :

  • Da simplificação da mensagem
  • Do Design e funcionalidade
  • De uma comunicação rica e clara
  • Gerando uma expectativa. Nossa proposta de entrega deve sempre gerar uma expectativa de qualidade. Um exemplo é a propaganda da Docol com o slogan “Metal pra toda a vida”. Devemos ter autenticidade em nossas campanhas. Não prometer uma coisa e entregar outra. Por isso os designs de produtos caros, como a caixa do IPhone é planejada nos mínimos detalhes, para não frustrar as expectativas do cliente com o produto.

Muitas propagandas de pastas de dente tendem a criar o hábito da escovação não focando na limpeza e sim na “refrescância”, como são as propagandas da “Close-Up”.

O nosso cérebro tem a capacidade de transformar experiências negativas em engraçadas com o passar do tempo. Algumas pessoas não apresentam essa capacidade e acabam entrando facilmente em depressão.


Sentidos e Emoções

Devemos explorar nossos 5 sentidos em campanhas, dependendo de nossos produtos:

  • Tato
  • Visão
  • Olfato
  • Paladar
  • Audição

Já imaginou uma imagem de uma pessoa comendo um churrasco apetitoso de provocar água na boca? (Por que não pensei nisso antes?kk)

Storytelling

Podemos chamar também de Roteirização. As histórias criam marcas. Conexões são criadas através de histórias. As marcas estão envolvidas por histórias ou envolvem através de histórias? As duas coisas estão certas.

Mas as histórias tem que ser verdadeiras. Uma marca de sorvete chamada Diletto – Gelato Italiano criou sua história baseada em seu criador como se fosse um descendente de italianos, coisa que não era verdade. Depois de descoberto, sua marca perdeu a autenticidade, pois cobrava caro um produto que era feito aqui no Brasil e não na Itália.

 

Psicologia do Consumo

 Existe o Inconsciente Individual e o Inconsciente Coletivo

As marcas usam desse conhecimento para influenciar pessoas sem gastar milhões em propaganda. Um exemplo disso é produtos com personagens infantis, como bicicleta, caderno, roupa de cama… Outro exemplo é uma atriz, como a Geovana Antonelli usar um esmalte azul e em pouco tempo ser esgotado do mercado! Antes dela usar pensaríamos ser uma escolha de alguém querendo ser uma “Avatar” kkk

Muitas marcas usam atores ou campeões esportivos para divulgação de seus produtos. O problema é quando ficam associados a eles e não conseguem renovar os cachês. Por outras vezes, a imagem fica desgastada. Observem quantos produtos o Neymar promove… Muitas vezes, esse contratado pode passar por um escândalo em sua vida profissional ou pessoal e isso ficar atrelado à marca. Então, para um profissional de saúde que tem poder aquisitivo de contratar uma pessoa famosa, vale a pena pensar nesses fatores.

O sobrinho de Freud chamado Edward Bernays (1891-1995) disse que :

“ O cérebro humano é facilmente influenciado”.

Ele é citado como o inventor do consumismo!

Ele colaborou com grandes campanhas em sua época onde associou o cigarro  com o luxo, poder e ostentação.

A comunicação vende experiências e sonhos e fazem isso através de HISTÓRIAS!

 E quando a concorrência mora ao lado?

Imaginem o que um vendedor tem que fazer  para vender um vestido na Rua das Noivas em São Paulo? Alguns usam o seguinte artifício: depois da noiva provar o vestido, eles ajustam no corpo com alfinetes, colocam o véu, fazem uma maquiagem e cabelo rápidos e no “grand finale” apagam todas as luzes e acendem apenas uma luz dicróica especialmente posicionada em cima da noiva e começam a tocar a marcha nupcial! Depois dela encher os olhos de emoção ele ainda acrescenta a seguinte frase “Dizem que quando a gente chora, é porque esse é o vestido de sua vida” Ficou chocado? Tem mais… Alguns provadores de lojas utilizam luzes bem direcionadas que melhoram a pele e até emagrecem, deixando as clientes se sentindo maravilhosas! Assim, quando vão à loja ao lado acabam voltando devido à experiência prévia. (compramos por experiências!)

Agora imagine adaptarmos isso pra Odontologia. Pense bem , o que é o Mock-Up que realizamos num tratamento de reabilitação planejado através do DSD? Isso mesmo! Se além das fotos fizermos um vídeo, pode ser no celular mesmo, e adicionarmos um fundo musical da preferência do cliente, iremos atingir os níveis mais profundos da emoção!

Mãos a obra! (se precisar de dicas de edição de vídeo pode contar comigo) 😉

 Recompensas

Nosso cérebro trabalha com recompensas que podem ser:

  • Racionais – são recompensas a longo e médio prazo. Por exemplo: Fazer uma pós-graduação, ter um filho, realizar uma reforma. Essa parte do cérebro sabe ler e interpretar
  • Irracionais ou Emocionais – recompensa imediata pelo prazer.

Quanto mais informações racionais você oferecer para o seu paciente mais tempo ela pode demorar a decidir a compra!

A não ser em casos de cirurgia que ela precisa saber em detalhes os riscos, pontos negativos e positivos para se sentir segura. Mas isso deve ser feito depois de você ter vendido seus produtos pelo lado emocional do paciente (mostrando os benefícios).

Quais as sensações que vendem?

Não é só pela felicidade e prazer que compramos. Você acha que ficamos felizes em comprar um seguro de vida, de carro ou plano funeral? Nós agimos também através de outras emoções que são a angústia, ansiedade, medo , tristeza e até a inveja!

“As pessoas compram mais por medo de perder algo que já tem do que por adquirir algo que não tem! “

Então devemos ser incisivos em mostrar a importância do tratamento para que ele não perca seus dentes devido ao problema periodontal, oclusal, etc.

A inveja é instintiva. Lembram do comercial da tesoura do Mickey que o menino dizia :” Eu tenho, você não tem”. Apesar de politicamente incorreta nos dias de hoje, na época causou alvoroço na criançada. (que tal comentar que fulana, sua amiga está fazendo o tratamento contigo? 😉 )

Nosso cérebro é extremamente egoísta. Quantas pessoas pagam três vezes mais por um acesso vip numa balada ou uma anuidade extremamente cara para ter acesso a uma área restrita no aeroporto? Por isso é importante personalizarmos nosso atendimento para satisfazer o egocentrismo de nossos pacientes. Uma forma é ofertar um brinde personalizado ao final de uma grande reabilitação, como uma champagne, uma flor rara, e se for personalizado melhor ainda.

Contraste

A maioria das pessoas é mais visual, ou seja, decidem a compra pelo sentido da visão. Como não podemos divulgar fotos de antes e depois como forma de propaganda, podemos usar essas imagens de tratamentos realizados dentro do nosso consultório. Pode ser na TV da sala de espera ou no computador em sua sala.

Tangebilidade

Muitas pessoas desejam comprar um produto pela internet, mas ficam receosas por não poderem tocar, sentir. São pessoas que tem o sentido do tato aguçado. Por isso vendedores de carro fazem o “test-drive” dos veículos, assim, todos os sentidos são explorados, principalmente o “cheiro do carro novo”! Podemos usar macro-modelos mostrando como as próteses convencionais e sobre implante são realizadas, deixando o paciente manipular. E usar vídeos explicativos das cirurgias (em forma de desenho, sem a presença de cortes e sangue) para que ele visualize o que será feito.

Começo e fim

O cliente deseja, na maioria das vezes, saber a duração e prazo de execução do produto ou serviço. Mas muitas marcas conseguem passar para o consumidor a ideia de fim infinito quando agregam valor. A pulseira da Pandora , onde as mulheres compram os pingentes mais variados, segue essa ideia. Isso é feito com grandes marcas como a Apple que sempre está inovando e levando o desejo na aquisição de novos produtos lançados. O que podemos fazer em Odontologia é passar ao nosso paciente a importância das manutenções frequentes para que o sucesso no tratamento seja alcançado.

Gatilhos Mentais (saiba mais AQUI )

  • Antecipação
  • Reciprocidade
  • Contraste (antes e depois)
  • Autoridade
  • Confiança
  • Solução
  • Surpresa (ex: Mac Lanche Feliz, Kinder Ovo..)
  •  Escassez
  • Originalidade (imaginarium)

Quando as grandes empresas fazem promoções ofertando produtos de brindes, o consumidor compra pensando em recompensa imediata (irracional). Quando a Parmalat lançou os bichinhos de pelúcia também foi uma febre, pois nesse caso as mães agiam por uma recompensa emocional, para presentear seus filhos. Que tal oferecer um brinde ao seu paciente no momento que ele inicia o tratamento ou no final?

Entendimento das cores

Muitos filmes, propagandas e jogos escolhem uma palheta de cores para gerarem determinados sentimentos. Dependendo do tom a leitura pode ser modificada. As novelas da globo também estão usando esse artifício. Por exemplo, observe na novela “Velho Chico” como os personagens tiveram que promover um leve escurecimento de seus dentes para retratar com fidelidade a época em que viviam.

Branco – sofisticado, minimalista, paz, tranquilidade, limpeza, frio

Verde – natureza, saúde, sustentabilidade

Vermelho – temos que tomar cuidado, pois ele pode causar um aspecto positivo ou negativo. Está ligado à paixão, amor, erotismo, raiva, saúde (cruz vermelha), sangue.

Laranja – criatividade, jovial

-Preto – nobreza, sofisticação, fúnebre, luxo, medo, terror (também devemos usar com moderação)

Prata – tecnologia, modernidade

Azul – segurança, saúde, confiança e tranquilidade. Observe que as cores podem ter um contexto cultural, pois nos EUA quando as pessoas não estão se sentindo muito animadas elas usam a expressão “ I´m feeling blue”

Amarelo – energia, riqueza, infância, alegria

Rosa – delicadeza, feminino

Marrom – humildade ou luxo

Roxo – espiritualidade, estética, luxo

Dourado – riqueza.

 

Dicas para negócios – azul, cinza, preto e roxo.

Para negócios infantis – tons pastéis.

 

A presença de textura nos ambientes dá a sensação de aconchego.

 

Branding de Luxo

Vendas de valores inconscientes

Exemplos:

alt="valentino"

alt="versace"

alt="zegna"

alt="hermes"

 

alt="osklen"

 

alt="bulgari"

 

 

Observem três detalhes:

  • Os cartões de crédito simples e de contas personalizadas. Ex Itaú, o Uniclass é prata com azul escuro e o Personalité é azul marinho com dourado.
  • As marcas de luxo são baseadas em TIPOGRAFIA e não em LOGO!
  • As pastas de dente da Colgate e Oral B modificaram suas caixas de apresentação e incorporaram brilhos na composição do produto “3D White Glamour ou Luxe, para atingir um público classe A.alt="oral B"

 

 

 

 

A Mitologia e a Simbologia

Olhar mitológico e o comportamento do consumidor.

CCP- comportamento de consumo previsível

 

Simbologia:

  • Músicas
  • Arte
  • Crenças
  • Culturas (hinos, bandeiras)
  • Valores

A marca pode ter associado a ela um mito como aconteceu com o perfume “Chanel n° 5” quando a Marlin Monroe disse numa entrevista que dormia apenas com algumas gotas de Chanel n° 5. Assista AQUI a verdadeira história da criação do Mito

No cinema, o filme “De volta para o futuro divulgou diversas marcas , principalmente a Nike.

Criar personagens fictícios para conversar com o público pode ser um caso de sucesso ou não. Por exemplo, a personagem “Lu” do Magazine Luiza foi um sucesso, já o “Dollynho” do guaraná Dolly foi alvo de chacotas e mesmo assim , não estão conseguindo desvinculá-lo da imagem da empresa.

Como várias marcas venceram a crise?

É incrível como grandes marcas conseguiram vencer a crise através de sua originalidade. Assistam AQUI o caso da Rolls Royce de como criaram a mascote “Spirit of Ecstasy”

 

Qual a diferença entre o cérebro masculino o feminino e o gay?

Masculino Feminino
Tangibilidade lógica Tangibilidade visual
Racional Emocional
Menos comunicativo Mais comunicativo
Sistêmico Empático
Menos neurônios Mais neurônios
Menor energia cerebral Maior energia cerebral
Intersex Intersex

 

Enquanto a mulher utiliza um vocabulário de 20 mil palavras por dia, o homem utiliza 5 mil.

Podemos usar uma linguagem inconsciente para atingir o público desejado. Muitas marcas fazem isso de forma sutil em suas campanhas para atingir o público gay. Seja nas cores ou formas de seus produtos ou insinuando um comportamento de forma discreta sem que atinja de forma negativa seu público heterossexual. Algumas marcas que fizeram isso: RAY-BAN , ABSOLUT e cuecas GROW.

Há muitas campanhas que vendem sem falar uma única palavra. Cuidado com campanhas muito engraçadas que ao fazer as pessoas rirem podem perder o foco no produto.

Plano Estratégico de Comunicação

CRM – Creative relacionship management

Devemos unir a tecnologia e o Neuromarketing para atender mais clientes de forma criativa.

Faça uma análise: Você tem preferência por uma marca ou criou o hábito de usá-la? Se pararmos pra pensar a maioria das marcas que usamos em nossa rotina foi porque criamos o hábito em algum momento de nossas vidas. Por isso é fácil fidelizarmos um cliente satisfeito. Ele dificilmente irá entrar numa clínica mais bonita que a sua, não só porque tem confiança, mas ele já está acostumado com o seu atendimento.

Assista esse VÍDEO que gera sensações e sentimentos. Ele foi premiado em Cannes. Foram criadas 30 velas exclusivas que ao se derreterem revelavam uma  figura diferente em bronze simbolizando a mudança positiva que o activismo dos direitos humanos pode trazer.As velas foram depois leiloadas no eBay com os fundos a reverterem todos para a Amnistia Internacional e foi um sucesso por vender todas em pouco tempo por um preço muito significativo! ( que tal presentear seus clientes “vips” usando algo criativo?)

E você? O que tem feito em Marketing, ou em “Neuromarketing” para atingir o seu PÚBLICO ALVO?

 

 

5 Comentários


  1. Parabéns! Excelente assunto abordado! Grata demais por todas suas dicas! Acompanho o blog frequentemente e gosto demais de suas publicações!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *